Supernova participa de "Diálogos Culturais" e debate sobre a Cultura em São Sebastião-DF e o Plano Distrital de Cultura

Por Isaac Mendes*
Foto por Nanah Farias
Nesta terça feira (16.06.15), foi realizada na Escola São José, em São Sebastião-DF, Audiência Pública sobre o Plano de Cultura do Distrito Federal. A partir de iniciativa da Secretaria de Cultura do DF, os Diálogos Culturais são encontros abertos à população de cada R.A. para debater a cultura local e como cada região será contemplada no Plano de Cultura do Distrito Federal, que estabelecerá as linhas prioritárias de ação para a arte e cultura do DF nos próximos 10 anos.

Nanan Catalão, Secretária adjunta de Cultura, explicou sobre a importância do plano distrital para o DF e que é a partir dessa lei que o Governo de Brasília poderá participar dos editais do Governo Federal e propor políticas públicas culturais mais efetivas. Destacou que a ideia dos Planos de Culturas começou com Gil no MinC. Colocou que é a partir dos diálogos com a população que governo poderá estruturar o PPA (Plano Plurianual, que é o instrumento básico de planejamento que estabelece, de forma regionalizada, as diretrizes, os objetivos e as metas da Administração Pública do Distrito Federal), buscando assim a otimização na aplicação dos recursos disponíveis e a qualidade dos produtos entregues.

Representantes de diferentes linguagens artísticas, setores e segmentos da comunidade san sebastianense compareceram e pontuaram questões de extrema importância, necessidade e urgência para a cultura local.

Isaac Mendes, do Movimento Supernova ressaltou a necessidade de repensar a política de fomento da cultura operada a partir do FAC. Disse que, embora essa política vise à descentralização de projetos, democratização no acesso aos recursos e a garantia da diversidade de iniciativas, o que os dados revelam é completamente o oposto: “O número de CEACs e de projetos contemplados é muito baixo. É difícil para o artista driblar a falta de equipamentos, a formação inadequada e toda a burocracia dos editais e competir com Brasília, que mantem-se no ranking da destinação dos recursos”. É preciso uma política que considere as peculiaridades dos artistas das periferias e façam com que os avanços da gestão passada continuem. Isaac colocou em questão a urgência de equipamentos públicos adequados para a promoção da arte “por exemplo, o Parque Ambiental do Bosque que permanece sem iluminação e ponto de energia” e ponderou acerca de emenda parlamentar de 3 milhões a ser destinada para construção de Centro de Cultura. Questionou acerca do repasse dos recursos destinados aos Pontos de Cultura que estão com a prestação de contas em dia, a exemplo da Ludocriarte. Isaac pontuou também a necessidade de ativar o Conselho Regional de Cultura e entregou para a Secretária adjunta uma proposta de Política Cultural elaborada pelo Movimento Cultural Supernova.

Chico, do projeto Metamorfose, demonstrou toda sua indignação com o fato de haver quem questione a construção do Centro de Cultura, luta de muitos anos do segmento artístico da cidade. Disse que é urgente a construção desse espaço.

Sobre o Centro de Cultura, Nanan Catalão ressalvou que é fundamental para São Sebastião e que a SECULT está ciente dessa demanda. Colocou que um Conselho Regional de Cultura fortalecido poderá discutir e propor um modelo de gestão compartilhada para o Centro Cultural. Nanan colocou também que a Secretaria de Cultura já está trabalhando e retomando o fortalecimento dos Conselhos Regionais de Cultura e dos Colegiados Setoriais.

Entre outras questões, foi debatido a importância de uma política transversal que dialogue com os demais órgãos do poder público (saúde, segurança, turismo etc.) e priorize a Escola nas parcerias e a reconheça como “lócus privilegiado onde se constrói a cultura”. O uso de recursos do FAC para outros fins também foi abordado e a expansão do Morro da Cruz também foi discutida.

Mirela, representante da BSB Criativa, disse que existe outras formas de conseguir recursos para projetos culturais e que a BSB está de portas abertas para receber a comunidade artísticas e auxiliar artistas no seu empreendimento. A partir de parceria com IFB local, cursos e oficinas serão oferecidos para a comunidade.

Paulo Dagomé, do Movimento Supernova, propôs que seja realizado Seminário de Cultura na cidade onde se possa destrinchar melhor cada ponto abordado no encontro além de fortalecer o movimento artístico cultural local.

Ao final, Jean Duarte, administrador de são Sebastião falou sobre o grande respeito que dedica aos artistas da cidade e declarou seu empenho na luta cultural colocando a Administração Regional a disposição da comunidade. Robenilson Oliveira, diretor de cultura, esporte e lazer de São Sebastião, agradeceu a presença de todos e disse que o núcleo de cultura, mesmo sem recurso, trabalhará para atender da melhor forma possível a comunidade artística.

Como não poderia ser diferente em encontros culturais, o “Diálogos Culturais em São Sebastião” encerrou com arte. Bia Estiano e Estela Sena do Movimento Supernova apresentaram uma canção e Zeca Oreba, também do Supernova, encerrou a audiência recitando uma poesia. 

*Isaac Mendes é integrante do Movimento Cultural Supernova, da Associação Ludocriarte, do Fórum de Entidades Sociais de São Sebastião, pesquisador no GEPPHERG - UnB e atua como Conselheiro Tutelar do Jardim Botânico.

SuperNovas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram