São Sebastião precisa aprender a valorizar seus heróis




Li, certa vez, no rodapé de uma folha de papel, a seguinte frase atribuída ao alquimista francês do século XVIII chamado Antoine Laurent de Lavoisier; “A França não precisa de seus heróis”. Essa frase teria sido dita no momento em que Lavoisier caminhava para a guilhotina.
   Pois bem, 221 anos depois, essa fala de Lavoisier pode se adaptada para contextualizar a realidade de São Sebastião, cidade do Distrito Federal. Na frase original onde se lê ‘não precisa”, podemos escrever "não valoriza", não reconhece o valor dos seus heróis.
É fato notório que existem, em São Sebastião, pessoas que se destacam nas mais variadas áreas de conhecimento, que englobam as praticas artísticas,  acadêmicas às práticas esportivas e que não tem seus valores reconhecidos por seus concidadãos, amigos e vizinhos.
   Nos dias 23/24 de janeiro 2016, os atletas Nivea (Nina) e Pedro Moura disputaram o campeonato Europeu de Jiu Jitsu em Portugal. Nina Moura, conquistou a medalha de bronze e Pedro a medalha de ouro, em suas respectivas categorias. Esse feito foi noticiado pela televisão e publicado via facebook e watsapp. Para conseguir dinheiro pra viagem, eles fizeram rifas, lavaram carros, enfim, mataram leões e amarraram tigres diariamente. Burlaram as dificuldades, viajaram para as terras lusitanas, onde venceram no tatame.  As conquistas de Pedro e Nina moura no continente Europeu foram noticiados em tempo real via faceboock.

    Eles voltaram para São Sebastião e, neste sábado, dia 30/01/16 desfilaram no carro da valorosa corporação do corpo de bombeiros do DF pelas avenidas principais da cidade. Esse desfile foi previamente alardeado pelas mídias sociais. O desfile, somado à grandeza do feito deveria, penso eu, ter culminado numa participação mais calorosa por parte das pessoas que cruzaram o caminho ou se encontravam em sua linha paralela. 
Não foi exatamente isso que aconteceu. O desfile foi saudado de maneira um tanto tímida por algumas pessoas e de forma um pouco mais efusiva por outras, mas em razão da grandeza do feito penso que poderíamos ter feito algo melhor.

    São Sebastião precisa aprender reconhecer o valor de seus heróis.  Quando isso acontecer nós deixaremos de usar pessoas distantes como referencial e passaremos ser nossos próprios referenciais. Afinal, são ações e feitos como o de Nina e Pedro Moura que diminuem o índice de criminalidade, de evasão escolar, que evitam que crianças descambem para a margem da lei e que despertam nos indivíduos um senso mais acentuado de amor próprio que os tornam protagonistas de suas próprias histórias.

     Os irmãos Pedro e Nina Moura são filhos da cidade de São Sebastião. Exemplo de superação,  são filhos de ex-oleiros Lourival (em memória) e Maria Aparecida, mãe guerreira e principal incentivadora dos filhos.  Maria aparecida sou teu fã. 

Às vésperas das olimpíadas onde o Brasil se prepara para venerar atletas nacionais e internacionais, me frustro com a ausência de Nina e Pedro Moura no quadro de atletas olímpicos Brasil. Digo isso por conhecer o potencial dos dois antes mesmo das medalhas, pois há mais de oito anos eu alimento esse sonho, desde quando eles eram praticantes exclusivos de judô.

Por isso finalizo afirmando: Nina e Pedro, Pedro e Nina, vocês são meus heróis, creio em vocês, como creio que outras medalhas virão e juntamente com as medalhas o devido reconhecimento do nosso  povo, do povo minha, da nossa e da sua cidade.

Edvair Ribeiro 30/01/20

Edvair Ribeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram