TEIA (paralaxes do imaginário) O bambu como suporte para a arte.


Divulgamos aqui o espetáculo TEIA (paralaxes do imaginário) realizado pela Cia Nós No Bambu e pelo IPAM, que tem sido parceiro do Movimento SuperNova em alguns projetos. O apoio do IPAM, na pessoa de Liane Mühlenberg foi foi fundamental para a aprovação de projetos de autoria de membros da SuperNova no Fundo de Cultura do DF. Acompanhem abaixo o release do espetáculo.

A Cia Nós No Bambu, traz aos palcos da Sala Martins Pena do Teatro Nacional Claudio Santoro, nos dias 15, 16, 22 e 23 às 21h e nos dias 17 e 24 de novembro às 20h,  seu mais  novo espetáculo TEIA (paralaxes do imaginário). Com sua linguagem original, composta por repertório de dança acrobática  em esculturas artesanais de bambu, a companhia vem surpreendendo o público e a crítica.
TEIA (paralaxes do imaginário) é o resultado da pesquisa de dois anos de duração - patrocinada pela Petrobras - implementada em duas vertentes principais: pesquisa das esculturas artesanais de bambu e aprimoramento artístico e técnico de suas intérpretes criadoras. 
Para dirigir TEIA, a Cia Nós No Bambu convidou o renomado diretor italiano Roberto Magro, que soma em seu currículo inúmeras montagens internacionais de sucesso. Além disso, Roberto é o diretor artístico da Flic Scuola di Circo de Turim - Itália,  fundador da companhia Magda Clan e diretor do Festival Brocante, de Val Colvera, Itália.
O diretor, em seu método de trabalho totalmente dedicado ao Circo Contemporâneo ou Cirque Nouveau, somou à equipe, na preparação do elenco, consagrados profissionais internacionais: no mastro, Diogo Dolabella, mineiro formado pela Escola Nacional das Artes do Circo (ESAC)/ Bélgica  onde vive há mais de 10 anos;  na dança aérea, Elodie Doñaque, trapezista e coreógrafa francesa / venezuelana; na dança contemporânea de solo, o espanhol Jorge Allue; na criação dramática da coreografia, o bailarino, diretor e coreógrafo Roberto Olivan, espanhol que trouxe os conhecimentos  da Enclave Arts Del Movimento; e, por último, o eslovaco Peter Jasko, bailarino, professor, coreógrafo e co-fundador do Les SlovaKs Dance Collective, que aprimorou intensivamente a linguagem das intérpretes, dando fluidez aos movimentos acrobáticos.
TEIA (paralaxes do imaginário) é um espetáculo culturalmente híbrido, pois alinha a brasilidade e a brasiliensidade das intérpretes criadoras ao mestre da criação musical contemporânea, o músico e compositor belga Laurent Delforge, responsável pela   trilha sonora original do espetáculo. Seu método inovador de compor trilhas para espetáculos de dança e circo, misturando alta tecnologia a genialidade criativa, interpretativa e de execução de músicos e cantores geniais, surpreende pela emoção que provoca. O resultado é a simbiose perfeita entre som, movimentos e dramaturgia musical. Em TEIA (paralaxes do imaginário), Delforge buscou a participação dos músicos brasilienses George Lacerda, Ocelo Mendonça, Pedro Martins e da cantora Andrea dos Santos para imprimir na trilha  a sonoridade brasileira que a Cia Nós No Bambu cultiva em seu trabalho.
Embarque nesta nave e vamos viajar!

SERVIÇO
Local Sala Martins Pena, Teatro Nacional Claudio Santoro
Data e hora 15, 16, 22 e 23, às 21h
17 e 24 de novembro de 2013, às 20h
Classificação indicativa Livre
Entrada R$ 40,00 e R$ 20,00 (inteira e meia)

Apresentações gratuitas Estudantes da Rede Pública e Instituições Sociais

Data e hora 14, 19, 20 e 21 de novembro, às 14h30


SuperNovas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram