Ferrock 25 Anos Revival - Homenagem ao Rock Candango



Queridos leitores do nosso blog O Super Nova, desculpem-me por só agora postar esse post, mas, em compensação, creio que vocês vão gostar...
Evento: Ferrock 25 anos
Data: dias 13,14 e 15 de novembro
Onde foi? Praça da Administração Ceilândia.
Aqui vou contar o Lado-B da história... rs.
Como, quem não tem dinheiro, tem história, lá vai...
Sábado, quando cheguei ao centro da Ceilândia, pude curtir muitas bandas novas para mim, porém com muitos anos de estrada. Algumas tinham vinte anos que não tocavam, e nos palcos do Ferrock encontraram uma mega estrutura, dois palcos lindos, cheios de movies, laser e luzes estroboscópicas.
Era 1:45 da manhã, quando tudo já havia acabado, e agora?
Um forasteiro sem norte, o que o Penetra vai fazer agora, já que seus poucos centavos teriam ido guéla abaixo em apenas 4 latinhas de cerveja e 3 gudangahhans?
Como as pernas eram o único meio de locomoção, algumas perguntas em tom agradável nortearam meu caminho.
Do centro da C.I apenas uma certeza eu tinha, a de que teria de caminhar muuuuuuuuuito.
Uns 5 km a frente, encontrei um posto de gasolina. Perguntei para o frentista onde era o P4 do Psul. Ele me falou a mesma coisa que os últimos que eu perguntara. Respondera:
“Cara, você vai caminhar muito, e com essa bolsa ai... Num sei não. Acho que você vai ser assaltado. Por quê você não pega um ônibus?”
Um pessoal que estava no forró ao lado do posto entrou na conversa.
“Que PSul o quê??? Vamos pro forró!!! Fica ai até o dia amanhecer... Depois você vai pra lá!!”
Eu respondi para ambos que estava tarde, mas eu tinha que ir para lá, só queria saber a direção, não importava o perigo, eu tinha que chegar ao Psul.
O pessoal do forró me interrogou por instante.
“Rapaz, tú num é mala não né?”
"Não, eu só quero saber onde fica o P4 do Psul amigão, eu tenho que ir pra lá."
“ Espera aí, eu estou sentindo que você é um rapaz bom, é perigoso andar pra esses lados a essa hora e a pé então...”
Passados uns 5 minutos, o forrozeiro chega em seu carro.
“Entra ai, eu te deixo lá!”
Fiquei grilado com o forrozeiro embriagado, mas quantas vezes eu dirigi embriagado e não deu nada, era isso ou me entregar aos bandidos.
Confesso, emocionado, que educação cabe em todo lugar, talvez por isso o amigo forrozeiro sensibilizara com meu depoimento, não me deixando à mercê das vitimas dos vícios que se entregaram à pedra.

 


O Penetra ao lado do Nasi

O PENETRA

Um comentário:

  1. ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh

    Seu penetra maldito!
    Amaldiçoado seja você e a até sua sexta geração (como mandam as regras cabalisticas superrrockianas).

    E bendito seja você também por mais esse aventura. parabéns, maldito.

    não acredito que eu perdi isso... só clássicos dinossauricos... um momento único. mas tudo bem...

    ResponderExcluir

Instagram