O RENASCIMENTO



Foi um ato tenso e lento, fazer renascer esses homens
Ou mesmo “reparir” essas vidas, ação que só os mais otimistas
Acreditavam ser possível de fato, eu me incluo nesta lista.
Foi um trabalho de parto sem a privacidade asséptica,
Com a equipe medica e a parturiente, na sala de maternidade.


Palco da concepção deu-se no acampamento Esperança.
Na mina de são José, no deserto latino, chamado de Atacama,
Onde há mais de dois meses a mãe terra, num ato assexuado,
Engravidou de uma vez de trinta e três super seres.
Feito com alma de heróis e porte atitudes de guerreiros.


Há seiscentos e vinte e dois metros, sob as entranhas da terra,
Esses trinta e três cromossomos gerados sobre tensão
Formaram um novo ser, que podem ser batizados com nome
Do fruto da coesão da força do amor, da fé e da união.
Pois venceram adversidade no ventre insalubre da terra,
Depois de dezessete dias sem nenhuma comunicação
Anunciaram o milagre da inédita sobrevivência.
Aguardaram com fé o momento marcado pra concepção.


O clima da sala de parto, no acampamento esperança,
Tinha os olhos do mundo sobre ele incidido,
Depois de setenta dias era hora da mãe terra,
Num átimo meio apocalíptico devolver para superfície
Aquele novo ser gerado por trinta e três cromossomos.
Trinta e três homens de força que uniram o povo latino.


Esses homens forjados de matéria especial
Imantaram os olhos do mundo pela força da união
Uniram os continentes, credos, raças e vertentes.
Num ato ecumênico velado, explicito concreto latente,
Pedindo ao Deus criador, para externar sua força,
Para permitir o renascer daqueles trinta e três entes.


Por volta da meia noite do dia doze de outubro,
Através d’uma cesariana, um túnel de seiscentos metros
Cortado na vertical no ventre do Atacama.
A sonda fênix desceu para as entranhas da terra.
Levando um socorrista e trinta minutos depois
Voltou para superfície trazendo de volta um mineiro.
Dos trinta e três o primeiro, pro ar noturno e frio,
Da noite do Atacama, em contraste com o calor
Esfuziante de alegria, dos abraços dos amigos
Que aquecia a noite, do acampamento esperança.


Umas vinte e três horas depois, de vai e vem incessante
Da ave metálica fênix, do subsolo a superfície,
Surge o ultimo mineiro, com porte e ar de guerreiro.
Coroando o sucesso de amor, de entrega e doação
Pra causa da solidariedade, homem a serviço do homem,
Homem a serviço da vida, homem a serviço de Deus.


O homem veio do pó e ao pó retornara,
Esses trinta e três gigantes, filhos da America latina,
Adiaram esse retorno, numa resistência felina,
Confinados nas entranhas da terra, por quase setenta dias,
Renasceram unidos por pacto de resistência.
Adiando as lágrimas dos parentes e afins,
Escrevendo nova pagina no livro de suas historias,
Enriquecendo o mundo carente de heróis humanos,
Heróis com jeito de gente, gente que faz sua sina.


Edvair Ribeiro, em 14/10/2010

Edvair Ribeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram