Eu sou mulher

Ser mulher não é apenas cuidar dos filhos e do marido, mas cuidar também de si, ser inteligente, simpática e educada.

Ser mulher é ouvir música bem alta no rádio enquanto se arruma a casa, mas também ouvir uma boa música pela manhã enquanto se arruma para o trabalho.

Ser mulher é arrumar as crianças às seis da manhã pra ir à escola, mas também é lutar para se realizar profissionalmente, ganhar dinheiro e esquecer os problemas com a auto-estima.

Ser mulher é cuidar da arrumação das camas, ver novela, fazer o café da manhã, mas fazendo coisas criativas e de que goste e sem se estressar.

Ser mulher é ter incômodos diários, semanais e, principalmente, mensais, mas nada impede que a gente aprenda informática, leia filosofia, freqüente uma universidade, leia Maiakovski e conheça esse tal de Karl Marx.

Ser mulher é trabalhar o dia inteiro, chegar em casa, fazer o jantar, colocar os filhos para dormir, se arrumar e sair para a balada ou para ver uma boa peça de teatro.

Ser mulher é usar o seu dia de folga para dar faxina na casa, passar toda a roupa da semana, ir á feira comprar verduras e peixe, fazer a compra do supermercado, guardar tudo nos armários e depois de tudo limpo e arrumado e morta de cansaço, passar o resto da tarde cuidando da pele e hidratando os cabelos.

Ser mulher é dormir só de madrugada, depois de muito cansada; sentir-se a mulher fatal e, sem perder o tesão, amar o seu companheiro, sem jamais cair na rotina.

Ser mulher é ouvir Marisa Monte e Elis Regina e curtir Charlie Brown Jr. e hip-hop.

Ser mulher é sair à noite pra dançar samba, forró, mas também conhecer um pouco de balé.

Ser mulher é ser mãe e ser amiga, dona de casa e ser moderna; é ser lavadeira ou advogada. É saber sobre política e tudo que está acontecendo no mundo. É ser reconhecida por sua capacidade intelectual.

Ser mulher é ter gordurinhas mas com a auto-estima no céu e ainda por cima sentir-se uma Marilyn Monroe.

Ser mulher é ter barriguinha, estria, celulite e lutar contra tudo isso e todos os dias.

Ser mulher é ser realista, intransigente, analítica e lúcida, e, acima de tudo, ser feliz.


Nanah é ativista política do Greenpeace e feminista, defensora dos direitos masculinos.

Março de 2008, p. 6.

SuperNovas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram