SuperCine apresenta "A Capital dos Mortos" - Longa de terror produzido em Brasília


“A Capital dos Mortos”

A SINOPSE

No ano de 1883, em Turim, na Itália, o padre Dom Bosco teve um sonho-visão sobre a construção da cidade de Brasília. Foi-lhe dito também que a raça humana estava prestes a ser testada, e que a cidade prometida seria o palco do evento. Dom Bosco foi avisado de que, no dia de sua morte, um processo de três gerações de sessenta anos começaria. Nas duas primeiras gerações, as atitudes dos homens seriam avaliadas, e sentenciadas 120 anos depois. A Capital dos Mortos começa no início da terceira geração, e segue a história de um grupo de amigos (a maioria fã de filmes de zumbis) que ironicamente percebe que a cidade está sendo tomada por essas criaturas apocalípticas, e tenta desesperadamente estruturar um plano para sobreviver.

“A Capital dos Mortos” é um projeto 100% independente. A ideia inicial veio em 1999, mas não havia um centavo sequer para começar a produção. Então, o diretor Tiago Belotti começou a juntar dinheiro para poder comprar equipamento, e financiar o filme. Sete anos depois, em fevereiro de 2006, a jornada começou. No inicio havia apenas uma câmera emprestada, alguns refletores, um roteiro e praticamente mais nada. Faltava um produtor. A adição de Rodrigo Luiz Martins no cargo deu ao filme o elemento que ele precisava para começar. Aos poucos, novos voluntários foram se juntando à equipe, e hoje o longa está pronto.
A estreia foi no dia 2 de maio. O Festival Internacional de Filmes Curtíssimos fez um convite para que o filme fosse exibido ao final do primeiro dia. E foi um sucesso absoluto. O Cine Brasília estava transbordado de tão cheio. Dezenas pessoas assistiram sentadas no chão, outras dezenas em pé. De lá para cá o filme participou de vários festivais.

A DIREÇÃO

Tiago Belotti é um paulistano de 29 anos que mora em Brasília desde 2000. O diretor já morou na Alemanha, Equador, Estados Unidos e na Argentina, onde começou a estudar cinema. Já dirigiu e produziu alguns curtas, entre eles "Oldoinyo Oibor" (1998) e "Apócope" (1999), realizados na Argentina, e "Zumbi Brasileiro" (2007), "Sábado à Noite" (2007), "O Jogo"(2008), "A Festa" (2008), "3 MINUTOS...", feitos no Brasil.

A PRODUÇÃO

O produtor Rodrigo Luiz Martins, 27 anos, é natural de Brasília. Rodrigo tem no currículo alguns curtas premiados, entre eles "Reflexo", premiado no Festival de Cinema e Vídeo Universitário de Curitiba como melhor ficção, e "Behr de Brasília", premiado no Festival Internacional de Cinema e Vídeo Universitário de Goiânia, em 2007.



SuperNovas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram