Jazz, blues, rockabilly, soul, funk, reggae e heavy metal, se resumindo em duas palavras que estremecem as paredes de qualquer estúdio, mudam a cabeça de qualquer ser pensante, move multidões na mesma wave que foi tocada e idolatrada há 40 anos atrás. Senhoras e Senhores, LED ZEPPELIN.



"Hey fell as, have you heard the news?"
HeartBreak - Led Zeppelin

Eles surgiram gloriosamente em 1968, no auge da psicodelia e do movimento "Flower Power". Jimmy Page, John Bonham, John Paul Jones e Robert Plant se juntaram e lançaram esse Zepelim no ar em setembro desse mesmo ano. A música que antes não era levada a sério, começa a ter letras e instrumentais elaborados. Page estava na banda YardBirds substituindo Eric Clapton, que mais tarde formaria a banda Cream. Mas nesse ano, nesse bendito ano, a Banda Yardbird se desfez e Page decide então montar sua própria banda. De uma banda chamada Band of Joy veio Robert Plant, Jonh Bonham Chris Deja, que eram os respectivos vocalista, baterista e baixista. Mas Chris não se encaixou nos preceitos da banda que se chamara New YardBirds, e John Paul Jones entrou na banda atraves de um anúncio de revista.

Então estava assim formada um quarteto extremamente fantástico. Segundo Keith Moon, baterista do The Who, o som da banda era pesado e leve, e sugeriu o nome à Page Lead Zeppelin (Zepelim de Chumbo). Mais tarde o nome mudou para facilitar os americanos a pronunciar, nascendo então LED ZEPPELIN.


"Some people like to rock, some people like to roll"
Let's have a party - ?

Seu primeiro álbum foi um homônimo da banda. Logo, começaram a revolucionar o mundo da música, lançando um álbum de total louvor com ótimas músicas ao invés de singles, como era de costume. Led Zeppelin é, como costumo dizer, uma das pouquíssimas bandas que você tem o prazer de ouvir todas as músicas dos álbuns. Esse álbum já veio com o sucesso Whota Lotta Love que virou quase um hino da banda. Logo no ano seguinte, foi lançado o Led Zeppelin II, que foi de maior sucesso que o primeiro. Apesar da banda ser inglesa, só foi aceita em sua terra no segundo álbum. Isso porque os ingleses ainda se mantinham completamente fiéis aos Beatles, mas acabaram integrando Led ao seu gosto musical, chegando a desbancar eles. Em 1970, Led tirou umas "férias" de todo aquele extasy que tinha provocado no mundo com seu estilo leve-pesado. Férias, que terminou em uma cabana na Escócia, onde eles decidiram gravar o seu álbum acústico. A cabana se chamava Bron-Y-Aur, que também foi nome de uma das músicas do álbum.

Em 1970 também foi o lançamento do Led Zeppelin III, que foi um fracasso de vendas. Apesar de mostrar toda a técnica da banda, o disco não tinha a emoção forte que era marca da banda. Isso ficou muito claro aos fãs, mas Led não decepcionou. Em seus shows eles davam o máximo de si e provavam a todos que essa mudança foi apenas um amadurecimento da banda. Esses shows foram os melhores até então. Cheios de vida e de força. Era realmente lindo, divino. Dazed and Confused tinha improvizações que chegavam a 45 minutos de pura psicodelia. Além de claro, aqueles duelos de voz e guitarra que casavam muito bem e deixava o público em delírio.


"You shook me all, all, all, all, night long"
You Shook Me - J.B. Lenoir e Willie Dixon

Surge então o divisor de águas da carreira da banda.O álbum sem nome que é comumente conhecido como Led Zeppelin IV que lançou a música épica da banda: Stairway To Heaven. A música mistura o acústico e o rock de forma ímpar. É como um sexo, um orgasmo, misturando o romantismo que se compreende na preliminar da música e esquenta de forma selvagem desmanchando-se em lindos solos de guitarra, falcetes rasgados e cresce lindamente, voltando ao acústico no fim. É uma música completa e foi um choque para todos na época. Stairway to Heaven é uma das músicas mais executadas da banda, apesar de não ter sido lançada como single. Do mesmo álbum, Rock in Roll era a música de abertura dos shows. Algumas mentes doentes diziam que a música era satânica, mostrando até gravações ao contrário e querendo provar que ela vendia as almas para Lúcifer em troca da fama. HIPOCRISIA! Exatamente os que diziam isso, vendiam as almas de seus fiéis para quem pagasse mais.


"Been dazed and confused for so long it's not true"
Dazed and confused - Jake Holmes e Jimmy Page

Chega então a terrível fase da banda. Em 1973, a banda lança o álbum House of the holy, decepcionando os fãs, que esperavam músicas como Stairway To Heaven, e se depararam com um álbum que tinha influências do reggae e do soul, como na faixa Dyer Maker. Era um álbum denso e difícil de se ouvir. Mas ainda assim era Led. Ainda assim era a melhor banda da época. Dois anos depois, lançam o Physical Graffiti  que não adicionou nada de novo para a banda, além da música Kashmir, que também é uma das músicas consagradas da banda. Logo após o lançamento do álbum, o filho de Plant sofre um acidente. A banda tira umas férias forçadas, pelo acontecimento por mais de um ano. Isso esfriou muito a banda, que já falava em dissolução. Em 1976, lançaram o disco Presence que foi o reflexo da fase ruim da banda. Nenhuma música se destacou e os olhos do mundo do rock estavam virados para o Punk que surgia com força total, sendo totalmente contrário a essência do som que eles faziam. Led Zeppelin não tinha mais a criatividade nem a força que tinha no ínicio da carreira.


"Baby, baby. I'm gonna leave you..."
Baby, I'm gonna leave you - Anne Bredon

Em 1978, In through the out door marcou a volta do Zeppelin aos estúdios e aos palcos. A banda não tinha coisas novas a mostrar, mas tinham eles. Mostravam que ainda eram os mesmos e que a fase ruim tinha se passado. Os corações dos fãs que se manteram fiéis se reavivava com aquele novo álbum. Led ainda era a maior banda de rock da época. Ainda enchia estádios por todo o mundo. Tudo estava indo certo, até o dia 25 de setembro. Nesse dia John Bonham deu um adeus ao mundo ao lado de uma garrafa de Vodka. Morreu assim como Jimi Hendrix, em um quarto, afogado em seu próprio vômito. Led Zeppelin que tinha começado numa primavera, acabou numa mesma primavera. Para Plant não existe Led sem Bonham. Para John não existe Led sem Bonham. Para Page não existe Led sem Bonham. Naquele dia junto a John Bonham, morreu também uma das maiores bandas da história. Mas ainda hoje, existem os fãs remanescentes, que não negam o amor pelo som leve-pesado. Que se mantêm fiéis, que conseguem entender os gritos e gemidos de Plant, que compreendem como se fossem palavras os solos de guitarra, os solos de bateria, os solos de baixo contidos nos álbuns deles.







http://inthevalentineday.blogspot.com

Anne K.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram