Mais do mesmo

Fico abismado com a falta de sentido que é, em alguns momentos, viver. Percebi a repetição mecânica das atividades diárias, sinto que sou anestesiado no decorrer do dia, que me faz passar pelas situações sem perceber que elas estão acontecendo. Agora, por exemplo, percebi que três horas acabaram de passar. E o que eu estava fazendo?

Viver dessa repetição para mim não faz sentido. É como se toda a sociedade estivesse viajando em um ônibus que não vai para lugar nenhum, que o seu objetivo é o seu próprio meio: circular. E todos vivemos essa vida fadada ao marasmo. Sinto que a sua quebra se dá pelo extraodinário, pela inovação.

A interrupção do cotidiano.

Quando não temos controle do momento presente, o tempo se encarrega de fazer a vida passar. E passamos, parados. Criar uma motivação para vida é o que torna ela real. É gostar do que faz. Penso que a vida é e foi feita para vivermos o Amor, explorar esse sentimento ao máximo, em todos os seus sentidos.

Temos a capacidade para transcender, alcançar a liberdade, quebrar a barreira da mediocridade. Para isso, a chave é a execução das nossas motivações interiores. Do contrário, nos destruímos destraímos em frente à televisão para descansar de nossas longas jornadas de apertar parafusos.


Samba Raul!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram