AMANDA MICHAELLIS Insólito: arquivos de um anacrônico.

Apresentamos um tostão da poesia de Amanda Michaellis*

Amanda Michaellis: Poeta


























Acordei-me de um sonho e me deparei com um pesadelo:
O grande pesadelo da realidade destruída pela miséria do pesar.

*** 

Não espere nada de mim. 
Não serei boa.
Serei como sou, como fui e como estou.
Não espere que te trate bem.
Te tratarei da forma que me convém.
Não te direi uma só palavra sobre minhas dores.
Não verás nenhuma lágrima escorrendo em meus olhos
Só verás a tristeza que estará sempre estampada em minha face.
Não te darei um beijo sequer.
Te atiçarei, tirarei tuas vestimentas.
Mas não me tocarás com essas mãos imundas e manchadas de maldade.
Virás ao inferno, virás a mim, pois teu corpo está manchado de pecado.
Me dás repugnância.
Os vermes degustarão cada pedacinho desse manto de poluição
Ao qual tens a audácia de chamar de cérebro.

***                          

A flor que nasce... Apodreceu?
Escute só:
Sirenes da morte!
Onde reinará a morte?
Na grande caixa craniana.
No abismo da vida.
De que isso tudo vale?
Se já cavei minha cova.
Deixe-me!
Onde minha alma reinará?
Num grande reino de paz ou de perdição?
Nada existirá!
Vim do pó
E ao pó voltarei. 

Não me diga nada.
Nada que esteja fora.
Só o que tem dentro.
Seja o meu alento e não me deixe ao relento: 
Morte.

*** 

Desatino

Deixei minha hipocrisia de lado.
Só quero ser eu mesma, sem máscaras, andando pela escuridão sem rumo.
É assim que ‘’vivo’’ sem propósitos, pois eles já se perderam nesse imenso buraco negro
Ao qual irrefutavelmente tenho o imenso desprazer de chamar de coração.

Dizem que lá se esconde o sentimento mais bonito que existira
Cujo nome é amor, no qual não o reconheço.
Talvez esse tal amor seja apenas uma ideologia deformada
Sem razão aparente para ter a audácia de ser somente uma existência patética.

*Amanda Michaelis é uma garota maluca que mora no Itapoã - DF e aparece nas festinhas de São Sebastião e nos saraus da SuperNova sempre muito bem vestida e caracterizada no estilo gothic lolita/vitoriana. Não estuda nem trabalha: é poeta e designer das próprias roupas. Além de canceriana.


paulo Dagomeh

Um comentário:

Instagram