SÃO SEBASTIÃO DIRÁ SIM! Saiba mais sobre o plebiscito pela Reforma Política

Precisamos mudar “as regras do jogo” político nacional. Nós, do Comitê Popular de São Sebastião em prol do Plebiscito Constituinte pela reforma política em nosso país estaremos realizando o nosso 2º encontro em nossa cidade para debater o tema. 

Saiba mais
Entre os dias 1 e 7 de Setembro (Semana Nacional pela Reforma Política) acontecerá a votação do Plebiscito Popular, onde o povo brasileiro dirá sim ou não a uma constituinte exclusiva e soberana do sistema político. Nessa semana as urnas terão somente uma pergunta a ser respondida: Você é a favor de uma Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político?
É consenso que não estamos satisfeitos com a política no nosso país. Em Junho de 2013 o Brasil parou por conta disso. Movimentos populares, incensados pelas redes sociais e uma sensação difusa de frustração com a classe política, eclodiram em protestos por centenas de cidades do País.
A reforma política era pauta na maioria dos protestos, que trouxeram fortemente a expressão "Esse Congresso não me Representa". A reforma do sistema político, necessária para avançar na conquista da democracia, da soberania e das necessidades de todos os setores oprimidos, mais do que nunca está na ordem do dia de mais de 400 organizações e movimentos populares em todo o país.
Reforma política é o conjunto de propostas e emendas constitucionais que tem como finalidade melhorar o sistema político do país, além de ser o primeiro passo para a melhora real e verdadeira na qualidade da política brasileira.
Hoje, o seu voto não é o que decide as eleições e sim o poder econômico, que através do financiamento empresarial de Campanhas Milionárias, dá a “palavra final” e mantém seu controle na eleição dos representantes nas Câmaras Federais, Estaduais e Municipais, principalmente. Constatamos isso, pois ao fazer um panorama do atual Congresso Nacional, o número de deputados e senadores ligados aos grandes empresários (da agricultura, da indústria, da construção civil, da educação, da saúde, etc.) é três vezes maior que dos ligados aos trabalhadores (que são a maioria na nossa sociedade).
A bancada ruralista representa um terço do Congresso Nacional e impedem a reforma agrária aumentando o lucro do agronegócio.
Embora os latifúndios para produção industrial de produtos para exportação ocupem a maior parte das terras brasileiras, 70% dos alimentos consumidos no Brasil são produzidos pela agricultura familiar.
Isso é correto? Não está na hora de mudar?
Regras claras e justas são fundamentais para que os nossos representantes no governo exerçam de forma legítima e efetiva o seu papel, por isso a reforma deve ser feita, de  preferência, através de uma Assembléia Constituinte própria, elemento fundamental para preencher as lacunas que ficaram sem regulamentação em 1988 e permitir uma representação mais significativa nos espaços de poder.

QUEM FALA EM NOME DOS NEGROS E INDÍGENAS NO CONGRESSO?
QUEM FALA EM NOME DAS MULHERES NO CONGRESSO?
QUEM FALA EM NOME DOS JOVENS NO CONGRESSO?

Como mudar essa realidade?
Simples. De 1 à 7 de Setembro vá às urnas e vote SIM para mudar o sistema político.

Por Isaac Mendes



paulo Dagomeh

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram