LUTO NA PERIFERIA - Movimento SuperNova lamenta a morte de Jack City - Rapper de São Sebastião - DF


Morreu esta semana o rapper de São Sebastião conhecido como Jack City. O corpo foi velado na tarde do dia 02 de outubro no ginásio de esportes São Francisco para onde acorreu grande número de amigos e admiradores do trabalho do músico.
A comoção era grande no local por conta da morte prematura de um dos mais aguerridos representantes do Hip Hop local, vítima de uma bala perdida. 
Na sua página do Palco MP3 Jack escreveu: 'É isso ai. Venho buscando, de forma consciente, nas letras mostrar a realidade em que vivemos e não fazendo apologia ao crime. Queremos paz pro nosso povo. O RAP é um grito de liberdade e protesto."
Apesar das letras fortes, sempre protestando contra as injustiças do 'sistema' postamos uma das canções mais românticas do rapper: Magia. Nesta canção, além de falar de amor do início ao fim, ao término do clip, Jack desce uma das colinas que cercam a cidade de São Sebastião como numa despedida. Olhando agora, a cena parece profética. 
Numa das letras mais instigantes a frase soa também profética: "Me programaram pra morrer! O que é que eu vou fazer?" O que ele fez foi defender o Movimento Hip Hop até o fim.
Um dos mais aguerridos representantes do Movimento Hip Hop da cidade de São Sebastião e no Distrito Federal Jack City fará falta aos companheiros na correria diuturna em busca da melhoria de vida relatada nas letras carregadas de revolta contra a opressão em que vivem os habitantes das periferias das grandes cidades, cenário no qual exercia o papel de um eterno inconformado com as injustiças sofridas por sua gente.
Que ele descanse em paz.

SuperNovas

5 comentários:

  1. O que ele fez foi defender o Movimento Hip Hop até o fim, foi ser uma pessoa maravilhosa com todos os que o cercavam, foi ser um filho maravilhoso, exemplo de pai de 5 lindos filhos, ótimo marido, amigo fiel, o melhor irmão do mundo... Não existem no mundo palavras para descrever o Jack...
    Mais uma vítima desse mundo maldito, País sem lei!
    Foi confundido com um vagabundo, mas o desgraçado que o confundiu "estava certo né", atirou nele de capacete no escuro em cima de uma moto em movimento com uma jaqueta preta bem flagrante, detalhe: a jaqueta do trabalho dele de vigilante!
    É depois de um tiro fatal sem a menor chance de se defender de tirar o capacete e mostrar seu rosto, sem a menor chance de sobreviver, aí sim o desgraçado viu que não era quem eles queriam... e sim um trabalhador pai de família!!!
    Esse é o Brasil
    "Me programaram pra morrer, o que é que eu vou fazer" (Jack City)

    ResponderExcluir

Instagram