Nova geração


 
Andando vadio por minha cidade
Eu cruzei na rua com uma criança
Com traços que me trouxe a lembrança
O rosto de um velho amigo da infância


Parei de chofre meio assustado
Tomado por um pensamento louco
De que meu amigo tinha encolhido
Ou que o tempo o havia esquecido


Mas logo voltei naturalmente à razão
Entendi que a criança a minha frente
Era fruto da nova geração


E o garoto nem era filho do amigo
O tal sósia era filho de seu filho
Em suma o pirralho era seu neto

Edvair Ribeiro

Edvair Ribeiro

Um comentário:

Instagram